quinta-feira, 21 de outubro de 2010

VALE A PENA DIVULGAR: 29 DE OUTUBRO - DIA MUNDIAL DO AVE

A cada seis segundos, independentemente da idade ou gênero, alguém em algum lugar morre de um Acidente Vascular Encefálico (AVE). A World Stroke Organization (WSO) está pedindo medidas urgentes para enfrentar a epidemia silenciosa, lançando a campanha One in Six (Um em cada seis) no Dia Mundial do AVE 29 de Outubro.

O objetivo da campanha é colocar a luta contra o AVE como tema central da agenda global de saúde. O tema "Um em cada seis" foi escolhido pelos líderes da WSO para destacar o fato de que hoje, um em cada seis pessoas no mundo inteiro terá um AVE durante a sua vida. Todos estão em risco e a situação pode piorar com a complacência e a inércia.

A campanha "Um em cada seis" comemora não apenas o fato de que o AVE pode ser prevenido, mas que os sobreviventes de AVE podem recuperar-se manter sua qualidade de vida com o atendimento e tratamento correto e com o suporte adequado a longo prazo. A campanha dos próximos dois anos tem o objetivo de reduzir o impacto do AVE agindo em seis desafios básicos:

1. Conheça os seus próprios fatores de risco: hipertensão arterial, diabetes e colesterol alto;
2. Seja fisicamente ativo e exercite-se regularmente;
3. Evite a obesidade, mantendo uma dieta saudável;
4. Limite o consumo de álcool;
5. Evite o fumo do cigarro. Se você fuma, procure ajuda para parar agora;
6. Aprenda a reconhecer os sinais de alerta de um AVE.

Divulgue essa idéia e colabore com a campanha!!!

Por Renan Guedes

sábado, 16 de outubro de 2010

UM POUCO MAIS SOBRE LISENCEFALIA

A Lisencefalia é uma malformação que se caracteriza por agiria e paquigiria cortical em porções do córtex cerebral, causada por um defeito de migração neuronal durante o desenvolvimento embrionário.

Pode-se apresentar de duas formas: Síndrome de Miller-Dieker (MDS) ou Seqüência de Lisencefalia Isolada (ILS). A MDS apresenta, além da lisencefalia, anomalias craniofaciais e outras malformações congênitas associadas, e quase 100% dos pacientes possuem deleção do gene LIS1. Já a ILS apresenta apenas a malformação cortical e pode estar associada com alterações no gene LIS1 ou no gene DCX. Além da etiologia genética, a lisencefalia pode ter causas ambientais, como infecções intrauterinas, radiações ionizantes ou uso de substâncias tóxicas durante a gravidez. Os sintomas do transtorno podem incluir um aspecto facial incomum, dificuldade para engolir, atraso mental e atraso psicomotor severo. Também podem ocorrer anomalias nas mãos, nos dedos das mãos e dos pés, espasmos musculares e convulsões.

O diagnóstico pode-se confirmar por ultrassonografia, por tomografia computadorizada ou por ressonância magnética. O prognóstico varia dependendo do grau de malformação do cérebro. Muitos pacientes não mostram nenhum desenvolvimento significativo para além da idade de 3 a 5 meses, a maioria vai a óbito antes dos 2 anos idade, sendo os problemas respiratórios a causa de morte mais comun.

O vídeo abaixo, através do relato de um caso, ajuda a entender melhor essa patologia.




Apesar do prognóstico nada favorável que a patologia possui, lembro das sábias palavras de Séneca:

"... cada dia é, por si só, uma vida."

Por Renan Guedes
Ocorreu um erro neste gadget