domingo, 12 de abril de 2009

Sensibilidade

A sensibilidade é um dos pontos que devem ser abordados pelo fisioterapeuta durante a avaliação neurológica, porém muitas vezes é negligenciado. A avaliação da função sensitiva é dividida em sensibilidade especial e sensibilidade geral.
Na atuação fisioterapeutica, a sensibilidade geral é enfatizada na avaliação, devido ser mais comumente acometida pelas patologias tratadas por essa profissão.A sensibilidade geral é dividida em superficial ou extereoceptiva e profunda ou proprioceptiva.A identificação das vias de condução dos vários tipos de sensibilidade é de fundamental importância, pois permite ao profissional identificar o local da lesão através dos sinais e sintomas.As informações aferentes (sensoriais) são captadas por órgãos receptores localizados na pele, músculos, tendão, ligamentos, periósteo,etc.Estes órgãos enviam os impulsos provenientes do meio externo para as vias superiores, onde as informações são interpretadas e tranformadas em impulsos eferentes, provocando uma resposta.
Se faz importante um enfoque maior sobre a estimulação sensorial durante o tratamento fisioterapeutico, já que a função sensitiva muitas vezes é deixada de lado por parte dos profissionais durante o tratamento, os quais abordam apenas função motora.
Por Lívia Lins

domingo, 5 de abril de 2009

Agnosia

A percepção tátil é uma função mental especificamente humana que implica em uma organização anatômica e fisiológica complexa. Uma alteração nos componentes funcionais e estruturais do sistema nervoso, em especial no córtex somatosensorial localizado em porções nobres do cérebro (lobos parietal, occipital e ínfero-temporal) participantes no processo de percepção, é capaz de gerar um déficit no reconhecimento de objetos (previamente conhecidos) mesmos com suas qualidades e características íntegras. A esse quadro clínico, dá-se o nome de AGNOSIA (a = sem; gnosis = conhecimento), um distúrbio na função sensitiva subdividido em: agnosias auditivas, visuoespaciais e táteis, essa última também chamada de astereognosia. Ainda podem ser classificadas quanto à extensão da lesão em: associativas, onde mantém relações com a memória e perceptivas, quando, no caso, prevalece a sensibilidade estereotipada. Muitas vezes, esse distúrbio combina-se com mais impedimentos sensoriais e motores de outras afecções. Os organismos, quando atingidos, utilizam-se de estratégias compensatórias para adaptar-se às dificuldades existentes, através da neuroplasticidade. No entanto, em alguns casos esses mecanismos não são suficientes para regredir processos já instalados. Por se tratar de uma alteração muito específica do sistema nervoso, essa disfunção ainda carrega controvérsias e discussões científicas, entretanto, essa área, tão interessante, merece um enfoque diferenciado no ramo da neurociência.

Por Clécio Gabriel de Souza

Ocorreu um erro neste gadget