sábado, 27 de outubro de 2012

Semana Nacional de Combate ao AVC



         A cada seis segundos, independentemente da idade ou sexo, alguém em algum lugar morre de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Isso, no entanto, é mais do que uma estatística de saúde pública.
            Organização Mundial de AVC (World StrokeOrganization-WSO) está pedindo medidas urgentes para enfrentar a epidemia silenciosa, e lançou em 2010 a campanha de 2 anos “Um em cada seis” no Dia Mundial do AVC, 29 de Outubro.O tema “Um em cada seis” foi escolhido para destacar o fato de que hoje, um em cada seis pessoas no mundo inteiro poderá ter um AVC durante a sua vida. Todos estão em risco e a situação pode piorar com a complacência e a inércia.
            A campanha comemora não apenas o fato de que o AVC pode ser prevenido, mas que os sobreviventes de AVC podem recuperar-se totalmente e manter sua qualidade de vida com o atendimento e tratamento correto e com o suporte adequado a longo prazo. A campanha tem o objetivo de reduzir o impacto do AVC agindo em seis desafios básicos:
1. Conheça os seus próprios fatores de risco: hipertensão arterial, diabetes colesterol alto, arritmias cardíacas (fibrilação atrial).
2. Seja fisicamente ativo exercite-se regularmente.
3. Evite a obesidade, mantendo uma dieta saudável.
4. Limite o consumo de álcool.
5. Evite o fumo do cigarro. Se você fuma, procure ajuda para parar.
6. Aprenda a reconhecer os sinais de alerta de um AVC.
          O AVC é a segunda causa de morte no mundo, sendo responsável por 6 milhões de mortes a cada ano. Ele é responsável por mais mortes anualmente do que as atribuídas à AIDS, tuberculose e malária juntos – três doenças que foram referências de sucesso em campanhas de saúde pública, capturando a atenção da mídia mundial e, consequentemente, convocando líderes mundiais, governos e diversos setores da sociedade civil para agir.
            No Brasil o AVC é a primeira causa de morte e incapacidade, com um enorme impacto econômico e social. Essa Campanha foi iniciada pela Academia Brasileira de Neurologia, Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares, Rede Brasil AVC e Associação Brasil AVC.
       Nós, do Centro de Estudos Avançados em Hemiplegia do curso de Fisioterapia da Universidade Estadual da Paraíba, já começamos a campanha. Com fim de alertar a população sobre a doença, fomos ao centro da cidade de Campina Grande-PB, no dia 18 de Outubro de 2012, para orientar e apresentar informações sobre o que é o AVC , quais seus fatores de risco e além disso aferimos a pressão arterial dos visitantes. A campanha se intensifica entre os dias 23 a 29 de Outubro, com distribuição de folhetos e pôsteres informativos em pontos estratégicos da cidade de Campina Grande e palestras dentro do campus universitário.


domingo, 7 de outubro de 2012


Terapia virtual na reabilitação de portadores de Disfunção Cerebelar


As disfunções cerebelares culminam com sintomas ligados ao tônus muscular e ao equilíbrio, sendo um dos principais a ataxia. Aproximadamente, 10% das alterações de equilíbrio são causadas por lesões cerebelares vestibulares, proprioceptivas e das vias de integração com o sistema nervoso central. A ausência de sinergia neuromuscular pode ser uma das causas dessas alterações.
Existem várias formas de tratamentos fisioterapêuticos que objetivam a melhora do déficit de equilíbrio ocasionado pelas disfunções cerebelares, sendo o tratamento variável de acordo com o paciente e impondo sempre desafios as habilidades do mesmo, objetivando melhora da qualidade de vida. A realidade virtual vem se tornando cada vez mais presente na reabilitação de pacientes neurológicos, pois proporciona uma experiência interativa gerando um feedback imediato entre paciente e terapeuta bem como do ambiente virtual, proporcionando assim um aumento dos estímulos durante o tratamento.
De acordo com o estudo de caso de Schiavinato e Machado (2011) que utilizou-se de um indivíduo portador de ataxia cerebelar precoce, apresentando condições de bipedia sem auxilio e cognição preservada. Para avaliação do equilíbrio foram utilizadas a escala de Berg e o Índice de Marcha Dinâmica. No tratamento o o instrumento utilizado foi o video-game da marca Nitendo (Wii), sendo atribuído a este o jogo Wii-fit, em conjunto com um acessório denominado Balance Board, responsável pela interface máquina/jogador. Os resultados foram analisados imediatamente antes e após o tratamento, depois de 80 dias percebeu-se a melhora imediata nos itens analisados pelas escalas, porém após o intervalo de 80 dias apenas o Índice de Marcha Dinâmica sofreu decréscimo em relação ao estágio inicial.
Em suma, a terapia virtual traz benefícios no tratamento da ataxia cerebelar precoce, que aliada aos recursos terapêuticos tradicionais podem proporcionar melhora considerável na qualidade de vida do paciente.     



Francisco Leite E. Pimentel
Wesley Cavalcante Cruz
Graduandos de Fisioterapia
Ocorreu um erro neste gadget