domingo, 29 de agosto de 2010

EQVE- AVE




Quando se considera o destacado envelhecimento populacional percebe-se que o número de pessoas com doenças e incapacidades crônicas têm aumentado, de forma que gera repercussões sociais e previdenciárias. Entre estas condições crônicas de saúde o AVE é o evento mais incapacitante e que impacta quase todas as funções humanas.
Após um AVE segue-se o programa de reabilitação, este influenciado pelo nível de incapacidade presente no indivíduo e determinante de sua qualidade de vida, conceito que ainda não apresenta um consenso na literatura, mas que envolve termos como "condições de saúde" e "funcionamento social". O que favorece o surgimento de uma concepção de qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS), este, um constructo multidimensional que reflete a percepção do impacto da doença e do tratamento para o paciente, a partir de um ponto de vista biopsicosocial, já que, mensurações físicas 'importam aos clínicos mas são limitadas para os pacientes'.
Desta forma se postula que instrumento que objetivem mensurar a QVRS deve apresentar domínios relacionados à doença, ter características de administração apropriadas aos pacientes e ser viável e confiável. Devem incluir questões que avaliem, além do impacto geral da doença para o indivíduo, questões relacionadas à funcionalidade e incapacidades. É importante considerar a presença de isolamento social e sintomas depressivos no paciente, a fim de incluir medidas de participação. Sabe-se que a doença se manifesta diferentemente em cada pessoa, sendo fundamental entender conceitualmente o que ela significa para o paciente.
A validade de uma escala que proponha mensurar a QV diz respeito a medir aquilo que se propõe medir, sua confiabilidade relaciona-se a alcançar resultados semelhantes independentemente do examinador, a responsividade reflete a capacidade de a escala detectar pequenas e grandes mudanças e sua interpretabilidade refere-se ao fato de que um determinado escora represente um estado definido na escala.
Diante de todos estes fatos foi adaptada a Escala de Qualidade de Vida Específica para AVE.

Em sua dissertação de mestrado em Ciências da Reabilitação, na qual correlaciona a EQVE-AVE com a CIF, Gomes Neto (2007) descreve a EQVE-AVE da seguinte forma:

"A escala tem 12 domínios (energia, papel familiar, linguagem, mobilidade, humor, personalidade, auto-cuidado, papel social, raciocínio, função de membro superior, visão e trabalho/produtividade) elaborados a partir de entrevistas com indivíduos hemiplégicos que identificaram áreas comuns afetadas pelo AVE. (...) Ao todo, os 49 itens são distribuídos dentro destes 12 domínios. Três possibilidades de repostas foram desenvolvidas em uma escala likert com escore de um a cinco: (1) grau de concordância com afirmações sobre sua funcionalidade, variando de concorda fortemente a discorda fortemente; (2) dificuldade na realização de uma tarefa, variando de incapaz de realizar a tarefa a nenhuma dificuldade; (3) quantidade de ajuda necessária para realizar tarefas específicas, indo de ajuda total a nenhuma ajuda necessária. (...) O ponto de referência para resposta de todos os itens se refere à semana anterior. O ponto de referência para todos os itens se refere à semana anterior. (...) Se aplicada em uma população mais deficiente do ponto de vista funcional, talvez pudesse ser observada uma melhor distribuição dos indivíduos, cobrindo os níveis inferiores da escala."

E conclui que, a EQVE-AVE é um instrumento de mensuração da QVRS clinicamente útil por cobrir domínios comumente afetados pela entidade clínica em si e outros relacionados aos componentes de função corporal, atividade e participação, além dos fatores ambientais cobertos pela CIF e que são fundamentais na identificação do impacto do AVE na vida dos pacientes. Ele observou adequada estabilidade dos itens e indivíduos, além da apropriada distribuição dos itens, difíceis e fáceis. Porém, no seu estudo, ele adverte que se deve ter cuidado na aplicação e interpretação dos itens verificados como erráticos da escala, de forma a comprometer a validade do constructo.


por Aryostennes Miquéias


REFERÊNCIA: GOMES NETO, MANSUETO. Aplicação da Escala de Qualidade de Vida Específica para AVE (EQVE-AVE) em Hemiplégicos Agudos: Propriedades Psicométricas e sua Correlação com a Classificação Internacional de Funcionalidade Incapacidade e Saúde. 2007. 77f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Reabilitaão) - Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo horizonte. 2007.



Link para download da EQVE-AVE

2 comentários:

  1. Olá sou estudante de Terapia Ocupacional da Universidade de Brasília e adorei o seu blog!
    :)

    ResponderExcluir
  2. Amanda, ficamos felizes por você ter gostado do nosso blog. Aceitamos sugestões de posts. abraços

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget